Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Qui | 28.12.17

UMA HISTÓRIA DE AMOR!!!

"Aprendi que amar não

significa estar juntos

mas sim querer ver 

a outra pessoa feliz

mesmo que isso custa a nossa felicidade"

O que escrevi não é da minha autoria, vi no instagram e gostei, e achei que era muito adequada à história que vou contar, não é a minha história, mas podia ser.

A minha E conheceu o N na Holanda, quando acabou o curso e foi para lá em através do Erasmus.

Na altura o N namorava, mas contudo isso não evitou que se apaixonassem.

Ao regressar para Portugal a E pensou que ele largaria a namorada e fosse dela por completo, mas tal não aconteceu, a namorada do N tentou o suicidio, a família interveio, e sendo ele uma pessoa muito ligada à família lá foi aguentando.

A distância separa a E e o N mas não impede que a relação continue.

Já lá vão 17 anos , o N casou, tem dois filhos, mas a relação com a E está de pedra e cal, com ausências prolongadas pelo meio mas é assim que continuam a gostar tanto um do outro.

Embora a E me tenha pedido conselhos sobre esta relação e eu a tenha dado, continua tudo na mesma, mas quem sou eu para aconselhar ou sequer opinar.

No início achei que ele era cobarde, no início achei que ele a estava a usar, mas a E justificava-o sempre, e a esposa onde ficava nesta situação? Pelo vistos não se incomoda, tem o N com ela logo tudo o resto lhe passa ao lado.

Calei-me não mais opinei, e ao ler esta frase no instagram acho que ela se adequa a estas duas mulheres, que aceitam esta relação.

Embora já tenham tentado arranjar parceiros à E , ela comprara-os sempre com o N, tal como lhe disse:

-Ao comparares todos os homens com o N, ninca irás desligar-te dessa relação.

No meio de tantos reveses, ora ela acaba tudo, ora deixa de o atender, ora deixa de responder às mensagens, volta tudo ao ínicio, e neste momento a relação deles está ainda mais firme, tendo como vantagem o horário de trabalho dele, que permite mais encontros, o que diz à mulher? Não faço ideia.

Amadureceram, e estão cada vez mais tempo juntos.

No que isto vai dar?

Não sei

Sei que gostava que ela tivesse outro tipo de relação, mas se é esta que a faz feliz, quem sou eu????

Se a esposa do N continua a aceitar este triângulo pois que assim seja, no fundo o que eu quero é que a E não sofra, gosto quando ela diz que se vai encontrar com ele, os olhos brilham, ela irradia felicidade, que mais hei-de eu pedir para uma amiga?

As relações não são perfeitas, as pessoas muito menos, dentro destas perfeições e imperfeições vão fazendo o que Chalie Chaplin diz, continuar o teatro da vida deles, tentar ser felizes, se da melhor ou pior maneira, quem somos nós para julgar!!!

E dpois virão os aplausos.

 

 

4 comentários

Comentar post