Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mãedocoraçãosoueu

mãedocoraçãosoueu

A MINHA FILHA NÃO É DEFICIENTE!!!!!!!!!!!!!

Quando adoptei a Diana ela tinha consultas de desenvolvimento no Hospital de Gaia.

Isto antes de a transferir para o Pedro Hispano, pois ir para Gaia implicava uma logistica muito complicada para uma criança, ter que apanhar dois metros, fizesse chuva ou sol, com uma criança de 6 anos, não era tarefa fácil.

Contudo na primeira consulta de desenvolvimento a médica deu-me um documento assinado por ela, que eu teria que preencher e entregar na Segurança Social, era um "abono",disse-me ela, até aqui tudo bem.

Nem olhei para o papel, levei-o para casa e só lá é olhei para o dito cujo e vi no título " Abono por deficiência".

Bolas a minha filha não era deficiente, deitei fora.

Na consulta seguinte e passados já uns bons meses a médica pergunta se preciso de outro documento assinado, sim o documento tinha que ser entregue com regularidade na devida instituição.

Respondi que não, a minha filha não era deficiente.

A médica ficou

E provavelmente pensou, bem esta deve ser rica" ou então ignorante.

Rica não, ignorante sim.

Foi então que me foi explicado.

O abono por deficiência é atribuido a todas as crianças com doenças crónicas, as crianças com asma tinham direito a este "abono", portanto a Diana também.

E porquê?

Porque tomam medicação com regularidade e este valor é uma pequena ajuda para esse custo, a Diana como estava diagnosticada com síndrome de hiperactividade e deficit de atenção, tomava a respectiva medicação,contra a minha vontade, devo salientar, e  que de facto era bastante cara.

Lá vim eu com o documento devidamente assinado, e lá fui entregá-lo à Segurança Social.

Não pensem que vão enriquecer com o valor, mas que dá uma ajuda dá, então para uma mãe solteira e com um salário baixo, oh,oh.

Isto também demonstrou a minha ignorância como mãe.

A médica tinha razão eu era uma ignorante.

A Diana não era deficiente, a médica dá-me um papel para a mão com o intuito de me ajudar, e que faço eu?

Deito fora.

Estive meio ano ou mais a pagar do meu bolso a medicação.

Contudo isto também é ser mãe.

Pois fiz um juramento em tribunal em como com o meu salário conseguia sustentar a minha filha, e nisto incluimos a medicação.

Mães estamos sempre a aprender, todos os dias e para sempre.

 

 

ESTAMOS EM OBRAS!!!!!!!!

Este blog está em obras.

Com a ajuda da querida Sofia dona do blog https://blogmusicaparaalmavibrar.blogs.sapo.pt/.

Está a ser um "parto" dfícil mas vamos lá chegar, pois porque ainda não terminamos.

A Sofia é um espectáculo, enquanto arrumava a casa lá me ia ajudando, e eu estava tão cansada que só me apetecia dormir, mas ela persistente como é não deixou e lá pusemos mão à obra.

Ainda faltam umas coisitas mas no próximo fim de semana continuamos, sim no fim de semana pois a Sofia trabalha.

Como se já não bastasse a Sofia ao ajudar-me ia estragando o blog dela.

Digam-me lá se ela não é um amor.

Já há poucas pessoas assim, dispender do seu tempo de descanso para ajudar os outros, ajudar uma pessoa que não conhece, quer dizer comhece mas só e apenas através da blogosfera.

Pois isto foi ontem.

Por isso digo.

Obrigada Sofia és uma querida.

Tenho tanta pena de não conhecer pessoalmente algumas pessoas aqui da blogosfera.

 

 

DE MULHER PARA MULHER!!!!!!!!!!!!!

Ter filhos é uma experiência incrível.

Quem tem sabe disso.

Quem não tem, deveria pensar na possibilidade.

Se eu pudesse dar só um conselho aos meus amigos e amigas, seria este: tenham filhos.

Pelo menos um.

Mas se possível, tenham 2, 3, 4…

Eu infelizmente não posso ter mais pois já passei o prazo de validade

Irmãos são a nossa ponte com o passado e o porto seguro para o futuro.

Mas tenham filhos.

Filhos fazem-nos seres humanos melhores.

O que um filho faz por vocês nenhuma outra experiência faz.

Viajar o mundo transforma-te, uma carreira de sucesso é gratificante, independência é delicioso.

Ainda assim, nada te modificará de forma tão permanente como um filho.

Esqueçam aquela história de que filhos dão muita despesa.

Filhos tornam-te uma pessoa com consumo consciente e mais poupadinha.

Vocês passam a comprar roupas na Primark e não na Zara, porque, no fim de contas, são só roupas.

E as sapatiçhas compradas o ano passado, que ainda estão novinhas e confortáveis, duram mais 1 anito.

Vocês têm outras prioridades e só um par de pés.

Vocês passam a trabalhar com mais vontade e dedicação, afinal, existe um pequeno ser totalmente dependente de vocês, e isso torna-te um profissional ainda com mais garra que nenhuma outra situação te daria.

Filhos fazem-nos superar todos os limites.

Vocês começam a se preocupar-se em fazer algo pelo mundo.

Separar o lixo, trabalho comunitário, produtos que usam menos plástico.

Vocês são o exemplo de ser humano do seu filho, e nada pode ser mais grandioso que isso.

A vossa alimentação passa a ter mais importância.

Já não dá pra comer chocolate com Coca-Cola e oferecer fruta e água à criança.

Vocês passam a cuidar melhor da vossa saúde, comem o resto das frutas do prato dele, extermina o refrigerante durante a semana.

Um filho dá-te uns 25 anos a mais de longevidade

Vocês passam a acreditar em Deus e aprendem a orar.

Na primeira doença do vosso filho vocês, quase como instinto, dobram os joelhos e pedem a Deus que olhe por ele.

E assim, vosso filho ensina-te sobre fé e gratidão como nenhum padre jamais foi capaz.

Vocês confrontarão a vossa sombra.

Um filho traz à tona seu pior lado quando ele se atira no chão no supermercado porque quer um pacote de biscoitos.

Vocês têm vontade de gritar, de bater, de sair a correr.

Vocês vêm-se agressivos, impacientes e autoritários.

E assim vocês descobrem que é só pelo amor e com amor é que se educa.

Vocês aprendem a respirar fundo, baixar-se, estender a mão para o vosso filho e ver a situação através de seus pequenos olhinhos.

Um filho faz-vos-á ser uma pessoa mais prudente.

Vocês nunca mais irão conduzir sem cinto, ultrapassar de forma arriscada ou beber e assumir a condução, pelo simples facto de que vocês não podem morrer,não tão cedo.

Quem é que criaria e amaria os vossos filhos da mesma forma na vossa ausência?

Um filho faz-te mais do que nunca querer estar vivo.

Mas, se ainda assim, vocês não acharem que esses motivos valem a pena, então que seja pelo indecifrável que os filhos têm.

Tenham filhos para sentir o cheiro dos seus cabelos sempre perfumados, para terem o prazer de pequenos bracinhos ao redor do vosso pescoço, para ouvir vosso nome que passará a ser mãe, seja falado ou cantado naquela vozinha desafinada.

Tenham filhos para receber aquele sorriso e abraço apertado quando vocês chegam a casa e sentir que vocês são a pessoa mais importante do mundo inteiro para aquele pequeno ser.

Tenham filhos para ganhar beijos babados com um hálito que nenhum Listerine proporciona.

Tenham filhos para vê-los sorrir como vocês, e entendam a preciosidade de se ter uma parte sua solta pelo mundo.

Tenham filhos para reaprender a delícia de um banho cheio de espuma, de comer manga sem limpar as mãos.

Tenham filhos.

Sabendo que muito pouco vocês ensinarão.

Tenham filhos justamente porque vocês têm muito a aprender.

Tenham filhos porque o mundo precisa que nós sejamos pessoas melhores ainda nesta vida.

NÃO TENHAM MEDO DAS MUDANÇAS!!!!!!!!!!

 

Toda a grande mudança é difícil.

Já nem contos pelos dedos por quantas vezes não me reconheci ao ver meu reflexo, falei coisas que me arrependi instantaneamente, chorei por outras que jurei que não me iriam machucar mais.

Já me sentei no chão atrás da porta e desisti.

Já me sentei no passeio no meio da rua e desisti.

Já me sentei no estacionamento do shopping e desisti.

Porque a vida é difícil.

Porque algumas pessoas são más de verdade.

Porque sentir dói, gostar dói e superar também dói.

Eu falhei.

Várias vezes.

E nada ao meu redor mudou.

Nada.

Nem o vento soprou mais forte nem o universo não teve pena de mim.

Não tive nenhum sinal divino.

Então cansei-me de desistir.

E como se nada tivesse acontecido, tive que continuar.

Porque esta bagunça que trago no peito é minha, ninguém sente como eu.

Tem dias em que ainda acredito que não vai passar, mesmo contradizendo tudo que já vivi, a malícia do tempo e a veracidade da minha memória.

O amor  não é como a maioria dos outros sentimentos, tem um lado mau, aquele que doí, e nunca mais vamos ser os mesmos.

Eu não sabia disso, mas agora eu sei.

A vida não te dá escolha temos tem que ir.

Temos que nos levantar.

Temos que tentar.

Temos que superar.

Temos que esquecer.

E não podemos deixar de trabalhar, estudar, pagar contas, ajudar o próximo, ouvir problemas que consideramos menores e dar a devida importância que eles têm para quem os fala.

Faz parte.

E dá medo.

Mas é isso.

É disso que somos feitos.

Vou chegar ao meu limite e aguentar.

Então, vou perceber que posso aguentar um pouco mais, e o meu limite vai ficando cada vez maior.

Já me senti angustiada por não saber o que fiz de errado.

Já me senti pequena e incapaz, porque, por mais que eu me esforçasse não era o bastante para fazer alguém ficar.

Até que percebi que todas as tentativas seriam em vão se não houvesse reciprocidade.

A gente só pode morar num coração que nos aceita.

E fui aceite.

A minha filha aceitou-me.

Desistir não opção.

E por incrível que pareça, sei que não estou sozinha.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub