Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Qua | 09.05.18

A MINHA MÃE TEM UM LUGAR NO CÉU!!!!!TENHO TODA A CERTEZA!!!

Andava eu nos meus afazeres e parei um bocadinho.

Já não tenho 20 anos e este corpinho já não faz tudo num só dia.

Mas o que me trouxe um bocadinho ao computador foi para contar uma historia da qual me lembrei, embora já tenham passado 30 anos.

Recordo-me como se fosse hoje. Lembrei-me ontem à noite, a noite tem disto, tenho umas epifanias

Ainda moravamos numa pequena casa, na mesma zona.

Já mudamos de casa 3 vezes e nunca saímos daqui, é bom é como viver nesta aldeia, perto da cidade, mas estou a desviar-me do assunto.

Nessa altura apareceu um Senhor lá em casa a pedir esmola à minha mãe, e tal como eu ela não é nada generosa, não deu nada ao Senhor.

Mas disse-lhe que todos os Domingos lhe dava uma refeição.

Ao principio e no Verão ele comia no pátio, mas aquilo começou a incomodar a minha mãe e então o Senhor veio comer à mesa connosco, como é óbvio, não é como agora que os pais pedem aos filhos licença para sair ou para outra coisa quaiquer, a minha mãe não pediu opinião a ninguém, fez o que devia fazer e mais nada.

O Senhor começou a almoçar à mesa connosco, como é óbvio o Senhor não cheirava a gel de Duche, cheirava mal, mas isso não incomodava de todo a minha mãe e deva-se dizer nem o meu pai.

Nós, eu e o meu irmão,ai de nós se fizessemos cara feia ou transmitissemos algum tipo de mal estar ao Senhor, a minha mãe punha-nos de certeza a comer lá fora, trocava os papeis, disso não tenho dúvida.

Depois para tristeza dela o Senhor nunca mais apareceu, não sabemos se ficou doente, se morreu, nada o Senhor desapareceu, mas não pensem que isso nos deixou contentes, não, pois já estavamos tão habituados ao Domingo sermos 5 à mesa.

Nem o nome dele sabiamos,contudo para nós já fazia parte da família.

A minha mãe nunca foi uma mulher de afectos, o meu pai sim, a minha mãe raramente nos dava um beijo ou um abraço, raramente nos dava o ombro para chorarmos.

Qual quê?

Dava-nos um abanão para acordarmos para a vida.

E acordamos.

O amor estava lá, eu sei que estava.

Mas nos momentos dificeis da minha vida e com o passar do tempo ela mudou, começou a ficar mais "mole".

Por isso ainda hoje vivo com os meus pais.

Mas é com a minha mãe que desabafo, é ela que me aconselha, e eu decido se acato os seus conselhos ou não, mas por norma sim, são conselhos tão sábios, os nossos pais são tão sábios.

Ela foi a força que impulsionou a decisão de adoptar.

Eu decidi e ela disse logo "Avança"

É a minha mãe que me controla quando a minha filha me tira do sério.

É a minha mãe que me trava quando vou "lançada" para dar uma belo dum ralhete à miúda, mas eu também com a idade fiquei mais "soft", a idade ensina-nos a ver coisas numa outra perspectiva.

Seria de todo mentira se estivesse aqui florir o que não é florido, dizer que a minha mãe foi ou é a minha melhor amiga, não, é a minha mãe, não é minha amiga.

Deixa legumes do seu terreno à porta dos vizinhos para a sopa das crianças.

Ajuda o lavrador aqui da nossa "aldeia" a cultivar o terreno, a fazer a desfolhada e outras coisas mais que eu não percebo bem, pois de agicultura nada percebo.

Há tantas coisas que poderia dizer da minha mãe,mas fica para um outro dia.

Por isso digo, a minha mãe tem um lugar no céu, tenho a certeza disso, pois se alguém o merece é ela.

2 comentários

Comentar post