Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Qua | 03.10.18

CUIDADO COM A MINHA MÃE!!!!!!!!!!

A minha mãe é uma força da natureza.

Sempre foi e continua a ser.

Quem me dera ter metade da força que ela tem.

É uma mulher com um M grande.

Fez-se à vida sozinha.

Não tinha pai nem mãe para a apoiar, para lhe dar a mão, para lhe dar conforto.

Foi uma filha, uma mulher sem mãe e sem pai.

Deixou de trabalhar por mim.

Sim por mim, pois não havia ama que conseguisse cuidar de mim

Então? Mas eu era pequenina!!!! O que pode uma menina pequenina fazer assim de tão mau?

O meu pai pediu à minha mãe para deixar de trabalhar.

E a minha mãe assim o fez.

Para cuidar de mim.

Começou a dedicar-se à agricultura.

Enquanto cuidava de mim.

E até hoje é amor para a vida toda.

Continua a dedicar-se à agricultura.

Mas cuidado com a minha mãe.

Ela não brinca.

Não brinca não, foram tantas as que levei!!!!

Mas deu frutos, modéstia à parte deu frutos

Mas o que vos vou contar é o seguinte:

Há muito, muito tempo, para nos deslocarmos para qualqer lado íamos de autocarro.

Sim, a minha mãe há muito tempo saía, agora não, é casa terreno, terreno casa.

E é feliz assim.

Ora vamos continuar a história.

Estavamos nós à espera do autocarro , o meu pai, a minha mãe, o meu irmão e eu.

Estão a ver aqueles autocarros de dois andares com portas de fole? Pois bem eram esses.

Estavamos na paragem quando chega o dito cujo quando senão:

Olhamos para a para trás e estava uma senhora a berrar pois o filho tinha ficado com o pescoço entalado na porta, o motoista não esperou que a criança saísse,.

O meu pai não tem mais nada sai do autocarro e parte o espelho retrovisor, dá-lhe um murro!!!!!!!!!

E diz:

-Se não viu a criança então não precisa disto.

Saímos do autocarro, pois já não era intenção de ninguém ir naquele, e sai o motorista e o pica, lembram-se do pica?

O senhor que com um objecto tipo agrafador furava as senhas?

Poi bem esse mesmo.

O motorista e o meu meu pai começaram a discutir e vai daí o pica prende os braços ao meu pai para que o colega lhe pudesse acertar melhor.

E vai daí a minha mãe puxa o braço direito atrás e dá um valente murro ao pica.

E nós, eu e o meu irmão perguntam vocês?

Nós estavamos a assistir à cena, tipo filme estão a ver?

Vai daí diz o pica:

-A senhora foi a primeira mulher que me bateu.

A minha mãe:

-E volto a fazê-lo se não largar o meu marido. Um contra um tolero, dois contra um não.

E ficou por aqui.

O motorista foi para o volante, o pica entrou e nós ficamos à espera do próximo autocarro.

Um que não tivesse o espelho retrovisor partido, pois náo não queríamos viajar num autocarro com o retrovisors partido.

Alías, nós e os outros passageiros, não eram muitos mas todos se juntaram a nós.

Já ninguém queria viajar no autocarro com o retrovisor partido.

Não fosse o diabo tecê-las e alguém mais ficar lá com o pescoço

Se isto nos marcou?

Que nada já sabíamos bem de que "massa" era feita a minha mãe só nunca a tínhamos visto bater em alguém.

O meu irmão não se lembra e eu só me lembro do menino com o pescoço entalado na porta e do retrovisor partido.

 

 

 

 

 

 

 

8 comentários

Comentar post