Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Qui | 18.10.18

ENCONTRAR O MEU LUGAR NO UNIVERSO!!!!!!!!!!!

Tenho vindo a aprender que  valorizar vem através da resiliência, do apego e do respeito próprio.

E ainda mais aprendi que acordar e até dormir é uma tarefa dolorosa às vezes mas desistir de mim não martela mais nos meus pensamentos.

É um começo para cada novo sorriso.

De todos os sentimentos e encontros que já vivi, nenhum me trouxe um peso uma aprendizagem maior do que o acto de pertencer. Mas pertencer num significado mais profundo.

É sobre ter consciência e aceitação pelas qualidades e falhas com as quais lido dentro do meu ser.

Porque pertencer, nas minhas mais recentes descobertas, quer dizer não encolher os sonhos do coração.

É continuar a sonhar.

Então luto diariamente para me pertencer de uma maneira em que desistir de mim não seja uma opção.

Tem dias que acordar é uma luta para a qual não estou preparada.

Que preciso fazer um esforço descomunal para não desmoronar, para não olhar para os lados e entregar os pontos.

Porque naõ posso, simplesmente não posso.

Que nem mesmo com o dia ensolarado ou com as belezas da vida a saltar em frente aos meus olhos consigo acreditar no caminho que mereço, no potencial emocional que tenho.

De vez em quando penso em como seria deixar o tempo correr e só ficar a observar, e esperar as consequências do mundo ao meu redor.

Talvez fosse tão mais fácil respirar, seguir e viver o resto da semana, do mês, da vida.

Pois eu também tenho dias assim!!!!!!!!!!!!

É em momentos cinzentos como estes, é quando o meu interior soa desesperançoso e sem poder de reacção, que a realidade vem à tona.

O coração deve continuar a bater.

Eu tenho que lutar contra as minhas dores, lamber as minhas feridas e a minha implicante autossabotagem e não desistir de tudo. Posso desistir dos relacionamentos incertos e dos caminhos traiçoeiros, mas tenho que lutar pela pessoa em quem me posso tornar, das coisas que posso alcançar.

Não, não mesmo, não me posso sabotar.

Porque pertencer-me  não é só uma questão de encontrar o meu lugar no universo, ou mesmo de saber o meu papel sobre as vidas que toco e onde participo.

E há uma vida que ainda depende muito de mim.

 Aprendi  que valorizar vem através da resiliência, do apego e do respeito próprio.

O apego à minha pessoa e aos meus.

E ainda que acordar e até dormir seja uma tarefa dolorosa às vezes, desistir de mim não martela mais nos meus pensamentos.

É um começo para cada novo sorriso.

Mas todos temos dias assim não?

 

 

4 comentários

Comentar post