Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Ter | 09.10.18

JÁ DIZ O DITADO !!!!HÁ CÃO QUE NÃO CONHECE O DONO!!!!!!!!!!!!

Há um ditado que diz "Ele há cão que não conhece o dono"

Pois neste caso há pessoas que não conhecem ou reconhecem ninguém.

Dito isto passo a explicar.

No ano passado uma vizinha que mora na mesma entrada do meu prédio e com a qual sempre me dei muito bem precisou da minha ajuda.

A mãe vivia na Maia, numa casa alugada.

Na casa de uns amigos desta minha vizinha.

Entretanto esta minha vizinha entrou em depressão, questões de trabalho, mas uma depressão daquelas!!!!!!!!!!!

O que é que decide fazer?

Decide dizer ao amigo que a mãe vai deixar a casa dele em finais de Abril e não disse nada à mãe.

O amigo ficou todo contente pois era intenção dele voltar para lá.

Porque é que ela fez isto?

Pergunto eu.

Fez isto contando que a inquilina que vivia na casa da minha madrinha e que entretanto se separou fosse embora, pois a casa é muito grande para ela e o filho.

Mas tal não aconteceu, a inquilina ainda lá vive.

O que acontece a seguir?

Ela começa a panicar pois os pais no final de Abril não tinham onde viver.

Ainda ponderou ir viver com a sogra e os pais ficarem na casa dela.

Entretanto um dos apartamentos aqui na mesma entrada foi vendido e eu conhecia muito bem a compradora.

Ora a partir daí foi o descalabro, quando lhe disse isso a partir desse dia eu recebia mais de 3 chamadas por dia a pedir-me ajuda.

Quando olhava para o telemóvel e via o número dela já começava a stressar.

Começava a pensar que quem iria entrar em depressão era eu.

Todos os dias chamadas e mais chamadas.

Eu só não entendia o seguinte.

Se tinha uma irmã porquê eu?

Porque não pedia ajuda à irmã?

Porque é que a irmã não procurava?

Ao fim de semana por exemplo.

Mas lá está uma mão lava a outra e as das lavam a cara.

Entretanto encontro a compradora do apartamento e tento convencê-la a alugar.

Trocamos números de telemóvel.

Ela ficou de me dizer alguma coisa.

E mais chamadas da minha vizinha.

Na eventualidade de não querer alugar, pedi à minha mãe para me ajudar a procurar um apartamento para os pais dela.

E a minha mãe lá começou a sua pesquisa.

Nada, nada de apartamentos para arrendar.

E lá continuavam as chamadas.

Entretanto percebi que os pais queriam vir morar para este prédio, não queriam outro

Como era possível?

Eu e a minha mãe andavamos a ver apartamentos bem perto do nosso.

Mas que nada.

Queriam este

E eu já me começava a passar, os meus niveis de stress já estavam no máximo.

Entretanto ligo com a proprietária do apartamento, tento convencê-la a alugar.

Ela vivia numa casa aqui bem perto.

O marido não queria sair de lá e ela contudo não queria alugar.

A coisa começava a ficar feia.

Não liguei mais, achei que já não estava a ser correcta,não queria alugar, estava no direito dela.

Para quê pressioná-la?

Agora a chata era eu, não, sério?

Passados uns dias liga-me e diz que vai alugar pois o marido não quer deixar a casa.

Ufa!! Tinhamos o problema resolvido.

Dei o número dela à minha vizinha e lá se entenderam.

Os pais já cá vivem e adoram.

Boa.

Entretanto os telefonemas pararam.

Boa

Já podia descansar a minha cabeça.

Mas não há bela sem senão.

Este mês mandei uma mensagem à minha vizinha a pedir o mail da empresa onde trabalha para enviar o meu cv.

Nada, não respondeu.

Passaram dois dias mandei outra mensagem a dizer que já não precisava do mail.

Nada.

Entretanto num destes Domingos encontro-a à entrada do prédio e ela diz:

-Então Paulinha já não precisa do mail?

Só podia estar a gozar comigo

-Não obrigada já me desenrasquei.

-Mas se quiiseres eu dou-to.

-Obrigada, mas sabes há quanto tempo te mandei a mensagem?

Eu não estava propriamente a sorrir

-O meu filho estragou-me o telemóvel e agora tenho um novo e só agora é que vi a mensagem

Sério!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Agradeci e fui onde tinha de ir.

Ainda hoje nos cruzamos à saída do prédio, cumprimentei-a e ela idem contudo diz:

-Paulinha tenho que ir já estou um bocadinho atrasada.

Ela fala muito com "inhos"

-Podes ir não tinha intenção de ter agora uma conversa contigo

Não tinha mesmo.

Mas uma coisa vos digo.

Há cães que não conhecem o dono.

Mas este cão não me volta a morder.

 

 

 

 

 

 

 

6 comentários

Comentar post