Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Seg | 13.08.18

QUANTO MAIS CRESCEM MAIS SE AMAM!!!!!!!!!!!

A Diana e o primo não partilham do mesmo sangue

A Diana conheceu o primo quando tinha 6 anos era ele recém-nascido

A Diana começou a amar o primo desde o primeiro dia em que o conheceu, tal com ama todas as crianças.

A Diana adora crianças.

O primo conheceu a Diana desde bébé

O primo ainda não tinha noção que tinha uma prima

A Diana cresceu.

O primo cresceu.

E com o discernimento que foram adquirindo com a idade o primo começou a amar esta prima, sem saber que não é do seu sangue.

A prima podia ser uma amiga qualquer.

Mas não.

O primo nutre um amor profundo pela Diana.

A Diana nutre um amor profundo pelo primo.

O primo também adoptou a Diana.

O primo quando vem cá a casa a primeira pesssoa que procura é a DIDI.

É assim que o primo trata a Diana.

Antes de cumprimentar os avós e a tia o primo pergunta:

-Tátá, onde está a Didi?

Se a Diana não está, o primo não quer ficar cá em casa.

E ficando, pois tem que ser

Está triste.

E pergunta várias vezes.

-Tátá a Didi não vem.

E a Diana liga e pergunta se o primo está em casa.

E se respondo que sim.

Vem a correr para estar um pouco com ele.

Pode ser mesmo um pouco.

Mas para eles é muito.

Se a Diana está, lá vai ele jogar playstation e a Didi faz-lhe companhia.

Ele joga ela está no telemóvel a ouvir músicas, mas ouco-os a conversar.

O assunto desconheço.

Mas conversam muito.

Falam sobre a música.

O Afonso não conhece.

A Diana ajuda-o a conhecer e a gostar.

Ouço vagamente, mas não invado o espaço deles.

Aquelas horas são única e exclusivamente para eles.

Ela 16 ele 10 mas lá têm as suas conversas.

Eles entendem-se.

A Diana conta-lhe peripécias da escola.

O primo não entende, pois são coisas de adolescentes, mas a conversa continua e les lá se entendem.

Já houve uma fase em que o primo batia na Diana .

A Diana não fazia queixa.

Lá resolveram o problema.

Não me meti, mas se persistisse assim o faria.

Não foi necessário, os primos resolveram a situação.

A Diana é quem prepara a comida do primo.

Parte a carne, serve a salada, serve o sumo, ameaça que se não comer ela não vai brincar com ela, é a mãe em ponto pequeno, e não é que ele obedece cegamente!!!

O primo não sai da mesa sem a prima, espera ansiosamente que ela termine a refeição.

O primo abraça-a, a mim e aos avós nunca o fez, mas abraça a prima.

A Diana não me deixa chamar o primo à atenção.

A Diana é contra tudo e contra todos sempre a favor do primo.

O primo mais do mesmo, se eu chamo a Diana à atenção el diz que sou má.

Terá a Diana a noção de que o primo não tem o seu sangue?

Terá o Afonso a noção que a Diana não tem o seu sangue?

Não partilham dos mesmo genes?

Mas que importãncia tem isso?

O amor não é a partilha do mesmo sangue, nem dos genes.

O amor é a partilha do carinho, do amor que têm um pelo outro.

No fim de contas tem tudo a ver com o Amor.

E FOI O AMOR QUE UNIU ESTES MIÚDOS.

O AMOR DE UMA MULHER QUE QUERIA SER MÃE.

O AMOR DE UMA MIÚDA QUE QUERIA SER FILHA E TER UMA FAMÍLIA.

10 comentários

Comentar post