Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

maedocoracaosoueu

Seg | 02.04.18

SABER DIZER NÃO É UMA ARTE!!!

Saber dizer "Não" aos nossos filhos é uma arte.

O mundo está cheio de nãos e eles nem querem saber!!!

Dizer não faz parte da educação dos filhos. Já pararam para pensar como é difícil? Dá muito trabalho! Gera birras, caras feias, manhas,discussões mas é importante o Não! Então depois de um longo dia de trabalho, quando chegamos a casa cansados, fisica e psicologicamente e ainda temo pela frente uma boas horas de trabalho "caseiro", o SIM é mais fácil que o NÃO.

Criamos os filhos para a vida, sendo que ela muitas e muitas vezes nos diz não. Há muitas coisas que simplesmente não são permitidas e temos que lidar com isso. Como aprender, então?

 

Uma das maneiras possíveis é por meio da negação, da privação e da frustração. Queremos que nossos(as) filhos(as) tenham sempre tudo, mas não é possível. Ao permitirmos tudo e dizermos sempre sim, estamos a ensinar que na vida tudo pode e que a vida tudo nos propicia. Seja na escola, no parque ou em casa de amigos, por exemplo, a criança passará por situações em que o brinquedo ou objeto que quer lhe será negado. E essa criança precisa ter instrumentos psíquicos para saber lidar com isso e ensinar sobre a palavra “não” é extremamente importante.

Isso é obviamente desgastante e requer tempo, ensinamento, diálogo e paciência, sendo que este último item depende de ambas as partes. Na maioria das vezes é realmente mais fácil concordar e permitir, afinal, depois de um dia cansativo, ter que lidar com stress em casa é a última coisa que queremos. Mas educar é isso. É uma constante. É um processo que não permite que deixemos para depois. Educar também é dizer não.

Dizer não faz parte da educação

Atualmente vemos uma crescente queixa em níveis escolar e familiar sobre a falta de limites infantil. Estão a ser criados “monstrinhos” que não obedecem, crianças que ao menor sinal de contradição se rebelam e que tornam a convivência difícil. São efeitos da falta de “não”.

Paremos para pensar: limite é uma linha invisível e impeditiva. Quantas linhas invisíveis existem no mundo? Não podemos simplesmente sair nus por aí. Não podemos dizer tudo o que queremos a todos. Essas são algumas das linhas invisíveis da vida. Como as adquirimos?  Aprendendo que nem tudo é possível. Essa aprendizagem pode ser mais doloroso ou mais suave. Uma criança que sempre pode tudo sofrerá ao deparar-se com uma linha invisível . Um indivíduo que aos poucos foi aprendendo e vivendo a frustração passará por isso de forma mais natural.

Dizer não também é segurança

Proibir e dizer não também dá segurança, uma vez que a criança não se sente tão solta e perdida. Ela sabe que está protegida, que também que tem alguém a cuidar dela, pela sua saúde, por sua integridade física e também psicológica. Sabe que não corre perigo, que é amada e cuidada. 

Isso não quer dizer que o não deve estar sempre presente. O não deve ser usado na hora certa. Há coisas que são permitidas e o sim deve estar tão presente quanto o não. Equilíbrio é fundamental.

É bom ter sempre em mente que tudo, o sim ou o não, deve ser sempre acompanhado de carinho e atenção. É um exercício, requer vontade e acima de tudo amor. Educar é querer o melhor. É preparar para a vida. E a vida pode ser bonita e pode ser dura. A maneira de encará-la vai depender sobretudo dos instrumentos que adquiriu, e esses cabe-no a nós pais, fornecer-lhes.

Com a minha filha há um equilibrio entre o SIM e o Não, sei que quando é Não fica amuada,passa rápido, faz parte da maneira de ser dela, mas tento, por mais que ela não queira explicar o porquê.

Dou-vos um exemplo:

Uma ida ao cinema com os amigos, sessão das 17H45, à partida não gostei, pois sabia que a chegada a casa seria por volta das 8, tentei convencê-la a mudarem a hora da sessão, levei um não, a minha vontade? Não a deixar ir, mas deixei.

Afinal a sessão era às 18h45, adolescentes!! Tão desorganizados, tão à toa, tão cabeças no ar.

Fim da sessão, 9h, a minha filha ainda tinha que vir para casa, noite, já escuro, veio a pé, sozinha.

Minha mãe diz que sou muito fria, que devia ir buscá-la a meio do caminho eu digo:

- Não!!! vai aprender com as parvoices que faz

Minha mãe vai para o quarto triste e preocupada..

Eu fico no sofá zangada e preocupada devido à insensatez destes muidos.

Recebo uma mensagem:

" Mãe desculpa"

Fiquei à espera com o coração nas mãos, do Norteshopping a casa pelo menos meia hora de percurso, noite, escuro, mas pensei:

As coisas más não acontecem só à noite.

Fiquei a aguardar.

A chave na porta, CHEGOU.

Um misto de alívio e raiva.

Jantou, com pouca vontade, jantou, porque ao lado dela estava a mãe a dar-lhe um sermão daqueles

-Mãe não volta a acontecer, não tenho vontade de comer, vou tomar duche e vou para a cama.

Estava segura, teve medo, mas aprendeu a lição.

E eu estive perto de um enfarte, faltou pouco.

Adolescência, Inconsciência, e mais um rle de coisas que me tiram do sério!!!!

No final foi um SIM que se tarnsformou num Não, mas um Não vindo dela, eles sozinhos chegam ao Não, pelo menos a minha chegou,