Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maedocoracaosoueu

Qui | 13.09.18

SOBRE AMIZADE!!!!EU CONTO A MINHA HISTÓRIA!!!VOCÊS CONTAM A VOSSA!!!!!!!!!!!!

 

Há pessoas que gostam de água fria.

Eu não tolero.

Admiro quem vai à piscina e, sem cerimónias, salta para aqule gelo paralisante

 

No Verão ainda se tolera no Inverno

Por outro lado, detesto a montanha russa. 

A minha filha adora.

As mnhas mãos suam, a boca fica seca, as pernas tremem. Para mim, é um sofrimento.

Há pessoas que adoram café, mas ficam com dores de estômago se beberem muito.

Outras adoram e bebem muitos, para mim dois é o suficiente.

Há os que bebem vinho e ficam com dor de cabeça, eu fico mais liberta adoro a sensação que um copo de minho me dá.

O que quero dizer com tudo isto é que ninguém, além de ti, pode saber o que te deixa confortável ou desconfortável.

Ninguém mais além de ti tem condições de dizer quais são os teus limites, o que podes tolerar, o que te faz bem, o que te deixa em paz.

Só tu conheces os teus limites.

Só tu sabes aquilo que te afecta, te faz mal, te irrita, que exige mais do que o normal, te magoa, te causa dor, te tira do sério, te traz  péssimas lembranças, te perturba, te atinge, traz à tona uma versão tua que tu não gostas.

E uma questão de te protegeres, te preservares, colocares os pontos nos is e saber até podes ir.

 

Está tudo bem não leres todas notícias.

Está tudo bem dizer “não” àquela solicitação.

Está tudo bem não gostar de livros densos.

Está tudo bem adorar séries levezinhas e engraçadas.

Está tudo bem não falar de política de futebol e religião.

Está tudo bem querer estar sozinho.

Está tudo bem não gostar de algumas músicas

Está tudo bem odiar a montanha russa.

Está tudo bem cancelar um compromisso.

Está tudo bem não querer estar perto de alguém que te magoa.

Está tudo bem não frequentar um lugar que não gostas de ir.

Está tudo bem em te colocares em primeiro lugar.

Porque não consegues dizer “não” a uma  solicitação quando tudo querias era estar noutro lugar, a fazer outra coisa?

Porquê essa mania de não te protegeres? Não te poupares? Não te resguardares?

A isto chama-se-se cuidares de ti.

Mas para conseguir cuidares de ti, é preciso conheceres-te bem.

Saber até onde consegues ir até onde podes mergulhar.

Cuidar é conhecer os teus limites.

Proteger a tua energia, cuidar é afastares-te do que te perturba, te desgasta, te desequilibra.

Algumas vezes temos que colocar a nossa afeição por alguém em banho maria para que nos possamos lembrar de que merecemos mais.

Algumas vezes temos que colocar o que sentimos por alguém em segundo plano para que nos coloquemos a nós mesmos em primeiro lugar.

Quando gostar de alguém que nos faz em pedaços, é hora de recuar, reconsiderar, afastar, até mesmo bloquear.

Para proteger minha energia, não vejo mal nenhum em silenciar grupos, não me envolver em discussões,bloquear pessoas que interferem no meu equilíbrio e não mergulhar em águas muito geladas.

Não vejo isso como fuga, e sim como autoconhecimento e autopreservação.

Com a maturidade, tenho adquirido compreensão daquilo que sou, e aprendido a reconhecer as coisas que quero ver plantadas no meu terreno.

Cabe-te a ti  descobrir o que faz bem para tua saúde física, emocional e espiritual e só preservar o que deve prevalecer, tendo a coragem de te autorizares a escolher o que é melhor para ti.

E por este motivo tenho um desafio.

Na empresa onde trabalhei 23 anos fiz muitos amigos, e fiz alguns e um ou outro inimigo, mas isto será tema para outro post, e conheci o meu amor colorido já lá vão 22 anos.

Mas não é sobre ele que vou falar.

Vou falar de amizade.

A Ema quando entrou para lá além de ser filha de um cliente, o que não pesou na escolha, acreditem, tinha como função, técnica de laboratório.

Licenciatura acabada de fazer, estágio na Holanda, mas ainda muito "verde" e pronta a aprender tudo.

Agora é responsável pelo laboratório, por mérito próprio, é uma pessoa muito competente e está sempre a aprender, mais e mais, aliás criou produtos novos, desenvolveu outros, pena os vendedores serem uns retrogados e não acreditarem no que ela faz, pena a admnistração não lhes puxar as orelhas,e é por estas e por outras a empresa  começou a afundar.

Estou a divagar, desculpem

Tornamo-nos amigas, não me perguntem quando nem como, mas ficamos amigas, ainda o somos já lá vão 17 anos.

Mas a Ema tinha um feitio muito particular, então quando ficou à fente do laboratório!!!!!!

Mas eu sou muito tolerante, não sei se tem a ver com o meu signo, mas acredito que sim.

A Ema é Touro, a minha filha é Touro, só pode ter a ver com o signo, pois eu sei bem do que falo, a minha filha bem podia ser filha dela 

Contudo nesta amizade de 17 anos tivemos um interregno de 4 anos.

Deixei de falar com ela.

Porquê?

Muito simples.

Porque não aceitei um acto irreflectido dela, porque ela foi ingénua em contar-me, apesar de tudo ela é ingénua e tem um coração do tamanho do mundo.

Quando foi viver sozinha resolveu dar um jantar de inauguração do apartamento.

Convidou-me, a mim e a outra amiga da empresa.

Passou.

Ela não dizia nada apesa de eu saber mais ou menos a data, mas provavelmnte houve uma alteração.

Não disse nada. 

Fiquei à espera do convite

Entretanto recebo uma chamada era a Ema a falar do jantar de inauguração

Deixei-a falar pois estava tão entusiasmada  depois chegou a minha vez.

-Não entendo não era suposto eu e Salete irmos?

-Sim era mas eu mas convidei o VS e ele colocou-me uma condição.

-Ai sim qual?

-Se tu fosses ele não ia, como não foste não achei de bom tom convidar a Salete.

-Então quer dizer que entre mim tua amiga há tantos anos e VS decidiste por ele, só porque tens um fraco pelo gajo decidiste por ele.

-Pois!!! Mas estou arrependida pois ele apareceu com a mulher e o filho e eu não estava a contar.

A minha alma estava parva

E continuou a conta as peripécias do jantar e eu a ouvir.

O que fiz a seguir.

Na empresa deixei de lhe falar. só falavamos de trabalho, ela percebeu, porque de burra não tem nada, e deixamos de ser amigas.

No trabalho não misturavamos alhos com bugalhos, tudo corria bem.

Mas estive 4 anos sem lhe falar sem sair com ela.

Magoou-me.

Muito.

Passados 4 anos recebo uma mensagem.

-Queres ir jantar a casa da Ana Teresa?

Ponderei demorei a dar resposta, ainda não estava preparada.

Neguei, inventei uma história não fui.

Mais tarde veio outro convite.

Aceitei.

Estava na hora.

Tinha que deixar de ser orgulhosa.

Não podia deixá-la humilhar-se mais.

Hoje devo dizer que é uma GRANDE amiga.

Devo dizer que está muito diferente.

Nunca falamos sobre o assunto, ela não quis falar eu não insisti para que tal acontecesse.

Passamos uma esponja no passado.

Desde a minha saída da empresa liga-me todas as semanas, de quinze em quinze dias vamos jantar fora.

Está uma  Ema diferente, também já tem 41 anos, amadureceu, mesmo a nível profissional e no que diz respeito ao modo como trata as pessoas. Todas as pessoas, não só aqueles que estão sobre a sua alçada.

Todos já repararam.

Dei-nos um tempo.

Passou a ver-me com outros olhos.

Como me vê não sei, nunca perguntei.

E continuamos esta amizade.

Continuamos a jantar fora de quinze em quinze dias, todas a semanas liga-me e estamos mais de uma hora ao telemóvel.

Quando não me liga sei que está atarefada pois com a saida de pessoal inclusivé do sector dela, está assoberbada de trabalho.

Se preciso de alguma coisa, mando mensagem e à hora de almoço liga-me.

Espero não me zangar mais com ela.

Agora contem-me uma vossa história.

Não vou selecionar pessoas em concreto pois para mim todos são especiais.

Digam-me já tiveram uma situação semelhante?

Partilhem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post