Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mãedocoraçãosoueu

mãedocoraçãosoueu

VAMOS FALAR DE DESTRALHAR!!!!!

Resultado de imagem para FOTOS DE marie kondoAnda toda a gente louca com esta menina.

Sim anda tudo no Netflix e nas redes sociais a ver esta menina.

Sim é uma menina muito fofinha, é a Marie Kondo e o que faz ela?

Ela ajuda as pessoas a destralhar as suas casas.

Já vendeu milhares de livros.

A minha opinião sobre esta fofinha.

Não faz o que outros já não terão feito, vários foram os programas televisivos, na Inglaterra nos Estados unidos da América onde várias pessoas foram a ajudadas.

Nos Estados Unidos da América as pessoas compram compulsivamente, estouram os cartões de crédito e compram desmesuradamente, muitas ainda tinham roupas com etiquetas.

Na Inglaterra as pessoas tinham uma doença do foro psiquico, não deitavam nada fora,mesmo nada, não deitar nada fora é uma doença acreditem.

O que vem trazer de novo esta fofinha?

Na minha opinião nada, a única coisa de diferente que ela faz é: após tudo arrumado e deitado fora ela e os donos das casas agradecem, agradecem a casa, agardecem as coisas que deitam fora, porque agradecem?

Não sei deve ter algo a ver com alguma a cultura Japonesa.

Eu não compararia o livro desta fofinha, e não compraria porquê, porque dobro as camisolas tal como ela, só não o faço com a etiqueta virada para cima, a Marie tem que aprender que uma camisola depois passada deve ser dobrada com a etiqueta para baixo, pelo menos comigo é assim, mas no Japão não deve ser.

Papelada sim deito tudo fora,ás vezes até deito fora coisas que não devia, mas este mês pago a factura da luz, no mês seguinte ao pagar outra, lixo com a anterior.

Não deito fora recoradações da minha filha, desenhos, bilhetinhos que me escrevia e outras coisas, está tudo dentro de uma caixa e guardada num armário.

A ikea serve para quê? tem caixas fantásticas para arrumação.

Caixas de papel grandes robustas e nada caras, caixas de plástico, grandes robustas e um bocadinho mais caras mas nada de exagerado.

Somos cinco pessoas cá em casa, se não fossem as caixas eu estava feita, mas tenho tudo organizado, o único problema nesta casa é omeu irmão, quando veio viver para cá trazia na sua bagagem montes de roupa, isto porque a su ex mulher era uma compradora compulsiva, nunca vi, e assim lá vieram cá para casa, sem exagero mais de 30 camisas, mais de 100 tshirts e mais não digo, o grande problem, o meu irmão não dá nada e grande, mas grande parte das coisas não usa, mas sem ele saber aos poucos lá vou dando, e o que fiz? Caixas de arrumação e gavetas todas organizadas.

Não foi preciso a Marie Kondo, aprendi com pessoas cá do nosso país a enrolar as calças e colocá-las numa gaveta e não imaginam quantas lá cabem, shirts a mesma coisa, e caixas mais uma vez as caixas, caixas para o calçado, caixas para os lençois, caixas para os pijamas e os armários estão impecáveis, no meu quarto, aproveitei umas sacas de pano muita giras, pendurei-as em cruzetas e numa coloco meias de vidro na outra meias curtas, aquelas que usamos para andar de sapatilhas, as meias maiores vão para a gaveta.

Roupa para dar, sempre e bastante, uma vez por semana abro os armários e vejo o que tenho e não uso e começo a encher os sacos, com a roupa da miúda a mesma coisa, o que já dei.

Para arrumar e destralhar basta ter força de vontade,basta tirar um tempo para ir ao youtube, facebook não preciso que venham cá a casa para o fazer.

E continuo a dizer há no nosso país pessoas que o ensinam a fazer, foi assim que aprendi a dobrar as calças de modo a caberem numa gaveta e não estarem penduradas em cabides e a pesar no varão, pois assim evitei que este viesse abaixo com tanto peso.

Acreditem que ver tudo arrumado é bom, a mim deixa-me feliz, sou feliz com tão pouco não sou?

E não pensem que é assim porque continuo desempregada,sou assim desde que me conheço, acho que é hereditário.

Sempre fui assim, não é de agora.

A minha doença é ser exagerada com as arrumações, é uma noia, já falei sobre isto.

A única coisa na qual não sou minimalista é na decoração, tenho imensos objectos, mas isso só me prejudica, pois tenho imensas coisas para limpar, mas eu gosto, faz-me bem,sinto-me feliz, contudo também dou muitos objectos de decoração, se vejo que não servam para nada, dou.

Outra noia minha, almofadas, muitas almofadas adoro.

Assim sendo acho que já descobri a minha profissão de sonho, ajudar pessoas a destralhar, escrever um livro não pois já há muitos.

Quem precisar dos meus serviços peça, faço preço de amiga

Mas se precisarem chamem a Marie Kondo.

E se quiserem ver como arrumo as minhas coisas espreitem o instragram do blog, mas só vou mostrar um bocadinho.

UMA QUESTÃO DE PEDAGOGIA!!!!!!!!!!!

Há professores que nasceram para ser professores.

Há professores que o são porque escolheram mal o curso, ou porque não tinham outras alternativas.

A professora de Ciências da minha filha pertence ao segundo grupo.

No primeiro teste a miúda esqueceu-se de escrever o nome.

Não pode eu sei.

Foi a primeira vez que tal aconteceu.

A Diana recebe o teste e:

Estava corrigido.

Foi-lhe dada a nota.

Contudo estava escrito "teste anulado".

A miúda liga-me a contar o sucedido.

Eu como por norma fervo em pouca água, principalmente quando se trata da minha filha, fiz umas chamadas.

Às minhas amigas professoras.

Ao professor do centro de estudos.

A algumas amigas que não são professoras mas são mães.

Entretanto liguei para a escola.

Já estava mais calma.

Pedi para falar com a directora de turma.

A Dona Odete notou que pela minha voz a coisa não era boa.

Pedi para a professora me ligar.

Não estava, pedi à Dona Odete para lhe dizer que no dia seguinte lá estaria para falar com ela.

Sou daquelas mães que não passa a vida na escola.

A escola é o local de "trabalho" da minha filha.

Só lá vou se me chamarem.

Aguardei pelo dia seguinte.

A professora ligou, já me estava a preparar para sair, estava com a Diana, tinha o teste nas mãos.

Também não compreendeu o sucedido.

Perguntou à miúda se tinha acontecido alguma coisa entre ela e a professora, não, não acontecu nada.

Eu estava ouvir a conversa.

Transmiti à professora que queria uma cópiado PEI da Diana.

Queria ver os critérios de avaliação.

A professora pediu-me calma.

Queria falar com a colega.

Deixei, achei justo.

Não fui à escola, fiquei a aguardar notícias contudo disse-lhe:

-O que a professora de ciências fez é anti-pedagógico, tal coisa não se faz nem à Diana nem a outro aluno, além de ser anti-pedagógico é de uma frieza que só me leva a pensar que a colega não tem coração, assim sendo quando falar com a sua colega diga-lhe que ela será a única professora a respeitar todos os critérios de avaliação do PEI da Diana, mas diga-lhe por favor,caso contrário terei que ser eu a dizer-lhe.

Passaram dois dias a directora de turma ligou.

Falou com a professora de ciências, o que esta fez foi mostrar à Diana que num exame se ela não escrevesse o nome, o exame seria anulado.

Ok aceitei a justificação.

A professora tem algum problema de saúde?

É muda?

Porque não explicou tal situação à miúda?

Porque a baralhou a ela e aos colegas que não entenderam o porquê?

A professora de ciências diz que explicou à Diana.

A Diana diz que não.

É a palavra de uma contra a outra.

A minha filha atirou a toalha ao chão.

Ciências vai ser uma das disciplinas com a qual poderei contar com uma negativa.

E porquê?

Porque há professores que nunca o deviam ser.

 

 

 

A LÓGICA DA BATATA!!!!NÃO SABEM O QUE É!!!!EU EXPLICO!!!!

Os argumnetos e as atitudes da minha filha são aquilo que eu chamo a lógica da batata.

A minha Mãe diz que a culpa é minha, que não lhe explico as coisas corretamente.

Eu explico, mas estarei a fazê-lo de modo errado?

Como sempre disse que a minha filha não tem livro de instruções.

Pois eu também não.

Não me estão a entender?

Deixem-me explicar, se não entenderem então a culpa é minha.

A minha filha no Sábado como estava muito calor decidiu ir à mercearia comprar gelados, pagou com o dinheiro dela, mas quando chegou a casa eu dei-lhe 3 euros para ajudar na despesa,

Assim sendo só gastou 1 euro.

Ao lanche decidiu comer uma fatia de gelado, era uma imitação do Vieneta, mas era bom, eu também quis, e só vos digo a fatia que ela me deu era tão grossa que conseguia ver de um lado para o outro.

No Domingo como sobremesa gelado.

Para a avó e o avô uma fatia grossa, bem grossa, para mim uma fatia igual à de Sábado

Reclamei, disse-lhe que tinha pago o gelado, resposta.

-Não, não pagaste.

-Mas eu dei-te o dinheiro.

-Mas quem pagou na mercearia fui eu.

-Mas eu dei-te o dinheiro.

-Mas o dinheiro que levei para a mercearia era meu.

-Não percebo.

-Devias ter dado o dinheiro antes de ir à mercearia e não depois, logo fui eu que paguei.

O meu pai riu-se.

Como sempre, acha-lhe piada.

A minha Mãe também, mas como sempre!!!

-A criança tem razão devias ter dado o dinheiro antes, o gelado foi pago com o dinheiro dela. Eu bem te digo que tens que lhe explicar as coisas.

Mas explicar o quê?

Não me expliquei bem?

A minha filha ficou com a "bicicleta" o gelado era dela e ponto final.

O Centro de estudos da pequenita fica perto de casa, 10 minutos a pé.

Quando sai de lá liga-me e no entanto quando dou conta já passaram 20 minutos e ainda não chegou a casa.

Agora fechem os olhos e imaginem esta situação.

A minha filha sai do Centro, vira à esquerda vem sempre em frente, vira novamente à esquerda anda 10 passos vira è direita vem sempre em frente anda uns 5o metros vira à esquerda vem sempre em frente, anda mais 100 metros vira à esquerda e mais 50 metros está em casa, isto dos metros pode não estar bem defenido mas são 10 a minutos a pé como já disse.

Mas a minha filha faz o seguinte.

Sai do centro, vira à esquerda, vem sempre em frente, vira novamente à esquerda anda 10 passos e vira è direita, até aqui tudo bem.

O problema é que em vez de continuar sempre em frente, ela vira à esquerda anda uns 50 metros, vira à esquerda, anda outros tantos, vira à direita, anda  20 metros e depois vira à esquerda e já está na estrada que a traz a casa. Com isto demora mais 10 minutos relativamente ao outro percurso.

Complicado não é?

Pois!!!!!!!!!!

O percurso da miha filha para casa é o percurso que o avô faz de carro para o centro de estudos.

É mais longo, assim o meu pai evita as confusões da outra estrada,o meu pai já não tem idade para confusões de trânsito, mas a minha filha não vem de carro, para ela não haveria confusões de trânsito, o lugar dela é no passeio.

Onde é que eu errei, já lhe expliquei tantas vezes qual o percurso mais curto, já fomos a pé e já viemos por esse mesmo percurso, digam-me onde é que eu estou a errar?

 

 

 

 

 

DIA DOS AVÓS!!!!!!!!!!!COMO!!!!!!!QUANDO!!!!!!!!!!!!!!PORQUÊ!!!!!!!!!!

Perguntaram a uma menina de dezasseis anos o que ela gostaria de ser quando crescesse.

Ela respondeu: – Eu gostaria de ser avó! Ao ser interrogada sobre o porquê, ela respondeu.

- Porque os avós escutam, compreendem. E, além do mais, a família reúne-se sempre na casa deles.
E a menina continuou:
- Uma avó é uma mulher velhinha que tem filhos. E gosta dos filhos dos outros.
Um avô leva-me à escola e a qualquer sitio onde eu queira ir.

. Os avós não fazem nada, e por isso podem ficar mais tempo connosco.

. Como eles são velhinhos, não conseguem rebolar pelo chão ou correr.

Mas não faz mal.

Levam-nos ao shopping e deixam-nos olhar as montras até cansar.

Enquanto isso ficam sentados nos sofás.

Se não nos acompanham ao shopping, vão-nos buscar quando for hora de vir embora.

Não nos querem na rua sozinhos.

"O mundo está muito perigoso" dizem eles.

Preocupam-se se chegamos mais tarde a casa, os perigos, a pensar sempre nos perigos.

Na casa deles tem sempre um frasco com gomas, rebuçados e tudo aquilo que nos pode fazer mal, mas podemos comer de vez em quando certo?

Mas como vivo com os meus avós, sei que tenho tudo isso, e já só como quando me apetece.

Mas como os meus avós são gulosos, asgomes e os rebuçados são para eles também.

Eles contam-nos histórias de nosso pai ou nossa mãe quando eram pequenos.

Também nos contam histórias da vida deles para nos mostrarem que a nossa é tão melhor.

Avós nunca dizem “depressa, já para cama” ou “se não fizeres logo, vais ficar de castigo”.

Quando fazemos uma pergunta, os avós não dizem: não vês que estou ocupado?

Eles param, pensam e respondem de uma maneira que a gente entende, mas sempre com advertências, pois os avós acham que este mundo é muito perigoso.

Eles não falam connosco como se nós fôssemos tontos.

O colo dos avós é quente e fofinho, bom para nos sentarmos quando estamos tristes,mas eu já sou grande, não me sento no colo dos avós, sento-me ao lado, mas mesmo assim consigo sentir-lhe o cheiro, é um cheiro diferente.

Não sei explicar.

Mas gosto deste cheiro.

Todas as crianças deveriam ter um avô ou uma avó, porque são os únicos adultos que têm tempo para nós.

 

Cada ruga tua representa uma história
E são tantas..

Quantas experiências...
Quantas histórias para contar...


Quantos conselhos para dar...
Quanta paciência para nos suportar...


Esquecem a sua vida, para viverem a nossa
Sempre cheias de atenção.


De carinho, de amor.
Uma advogada na nossa vida
Mediadora nas nossas decisões
Tu és o meio termo...
O equilíbrio...


A palavra de esperança
O colo onde nos aninhamos
O ombro que apesar de cansado apoia
O olhar de complacência
O oásis da segurança que aplaca a sede
E alimenta o corpo


Vocês são tudo de bom e de belo na minha vida.

 

 

A MINHA RELAÇÃO COM O VICTAN!!!!!!!!!!VERGONHA PORQUÊ!!!!

Resultado de imagem para imagem do victan

Não tenho vergonha do tema que aqui vou falar.

Tenho uma relação de amor/ódio com o Victan.

Já tomo este comprimido à 15 anos.

Não consigo largar.

Não adianta dizerem inspira e expira que as crises de ansiedade passam.

Não, não passam.

É mais forte que eu.

Logo para quê lutar contra isto?

Sou fraca, sim provavelmente.

As crises de ansiedade começaram do nada.

Estava a trabalhar.

Tudo tranquilo.

Quando de repente, e não me consigo esquecer.

O colar que tinha ao pescoço começou a pesar.

Parecia que pesava 50 Kilos.

Tirei-o de imediato, estava a faltar-me o ar.

O meu coração começou a palpitar, tanto mas tanto que pensei:

"Vou ter um enfarte"

Fui para o hospital de imediato.

O coração estava ótimo.

Viram logo o que se passava.

Pastilha debaixo da língua e pronto.

Parecia uma zombie, mal podia falar.

 Mesmo assim fui trabalhar.

Depois dessa crise vieram mais, mas com sintomas diferentes.

Vontade de vomitar, um aperto na garganta, não conseguia engolir nada.

Voltei ao hospital.

Mais uma pastilha.

 Terceira vez que fui ao hospital, a médica era Espanhola.

Não esqueço as palavras e o gesto dela.

Pôs a mão em cima da minha e disse:

-Paula, não podes continuar assim, isto significa que estás a entrar em depressão.

Tudo isto em Espanhol, mas eu entendi.

Depressão!!!!!!!!!!!!!!!

Não!!!!!!!!!!!

Nem pensar.

Motivo destas crises.

Namorado hipocondriaco, colega de trabalho que só falva em doenças e outro colega que dizia ter um cancro na cabeça, só pensava nisso.

O meu cerebro tal como uma esponja começou a absorver toda esta informação.

Comecei a pensar que também tinha uma doença grave.

E isto não me saía da cabeça.

Emagreci uns 10 kilos.

Parecia um esqueleto.

Mas não podia continaur a tomar a quela maldita pastilha o Diazepan, que me punha a falar como se tivesse bebido uma garrafa de vinho.

Continuei a trabalhar.

Contudo os patrões quando me viram naquele estado mudaram-me de sector.

Foi ouro sobre azul.

Deixei o escritório dos paranoicos.

Pois, eu tabalhava lado a lado com o meu namorado, o que também não ajudava para o caso.

Já bastavam as crises que ele tinha em casa.

Fui ao médico de família, já não aguentava mais,  como não tomava medicamentos a não ser o Voltaren para uma dor de cabeça, o que era raro,receitou-me o Victan.

E deu-se o milagre.

Comecei a ver as coisas de outra maneira.

O mundo passou de cinzento a côr de rosa, nesse mundo não havia doenças.

Ajudei o meu namorado com as crises dele.

Comecei e ignorar as conversas dos meus colegas.

Que efeito têm estes medicamentos no nosso cerebro?

Bem só a medicina o poderá explicar.

Ainda hoje tomo o Victan.

E é devido a ele que consigo ser mais poderada nas minhas atitudes.

Não sou uma serial killer, apenas consigo encarar as situaçoes com mais calma, serenidade.

Consegui ultrapassar situações muito complicadas na minha vida com a ajuda dele.

O facto de tomar o Victan não foi impedimento para adoptar a Diana.

Mas podiam pensar em tudo e mais alguma coisa, e tinham as suas razões.

Foi com a ajuda do Victan que consegui enfrentar  o bullying infilgido à minha filha.

Ao contrário da outra mãe que tinha uma depressão crónica e nos fez a vida num inferno, a filha e ela.

Tive que "lutar" contra estas duas pessoas, sozinha, mas sempre com sensatez, com calma e serenidade, para meu bem e para o bem da minha filha, que era o elo mais fraco, a parte mais afectada.

Se não tomasse o Victan acho que teria espancado a miúda, a mãe e o pai, e não é este tipo de atitude que a minha filha, algum filho, deve presenciar.

Em tudo sou ponderada, como é óbvio com conta peso e medida, pois tem dias em que me passo da cabeça, mas acho que isso é normal, tenho direito a dias maus.

O mais caricato disto tudo.

Conheço muitas pessoas que tomam este medicamento mas não o admitem, têm vergonha.

De quê?

O estigma.

Se tomo Victan ou outra coisa qualquer sou maluquinha.

Conheço tanta gente que não toma o Victan mas toma Xanax e depois?

Como é óbvio todos têm direito às suas reservas, não têm que andar com um badalo a dizer o que tomam ou não, mas quando confrontadas por algum motivo com esta conversa, nicles, fecham-se em copas.

Mas sabem dizer:

-Pergunta à Paula pois ela toma o Victan.

Não sou menos pessoa por tomar esta pastilha.

Não sou menos mãe.

Não sou menos mulher. 

Não sou menos filha.

Não sou menos amiga.

Gostava de não tomar, já tentei largar, mas foi pior a emenda que o soneto.

Pode ser que um dia.

Quando não sei.

Confesso que andei a adiar este tema há muito tempo.

Porquê?

 

AQUI ME CONFESSO UMA OUTRA VEZ!!!!!!!!!!!!

Aqui me confesso mais uma vez, mas nada tem a ver com religião.

Poderão julgar-me pelo que vou confessar, mas primeiro leiam e depois julguem.

Já fui solicitada, se é que se poderá dizer, solicitada, não fui aliciada, fui solicitada para ser amante de alguns homens, grande parte colegas de trabalho, e alguns clientes da empresa.

A conversa era sempre a mesma, casados à mais de 20 anos, agora é só amizade, só estão com as  mulheres por causa dos filhos, blá, blá whiskas saquetas, por incrivel que pareça, a mesma ladainha.

Só um é que iria largar a mulher e vinha viver para o Porto para viver comigo, PANIQUEI, estava fora de questão.

Porque é que isto acontecia?

Não sei, não sou nenhuma top model, mas tenho uma carteristica que provavelmente os fazia olhar para mim como uma "tarada", sou muito brincalhona, sempre fui, no trabalho brincavamos muito, de tal maneira que a conversa enveredava para conversas mais intimas, mas não era apenas eu, tinha uma colega que me acompanhava, e quando começavamos, uma de nós tinha que sair pois a galhofa era tal, que tinhamos que pôr um travão,e por norma era eu, mas não passavam de brincadeiras, mas com todos os colegas, nunca mas nunca apenas com alguns, eramos assim com todos e era divertido,e sempre com o devido respeito, sempre, nunca houve pelo menos da minha parte qualquer malicia, ou outra intenção que não fosse a diversão, que sabia tão bem, criava um bom ambiente, e o pessoal vinha sempre até ao nosso escritório para darmos umas boas gargalhadas.

Contudo nunca quiseram uma relação extra conjugal com a minha colega, porquê?

Uma vez um colega novo na empresa comentou que eu e a minha colega eramos umas taradas sexuais, confrontei-o, pois trabalhavamos em parceria e não podia ficar com tal insinuação entalada, ficou perplexo, disse que me achava piada e que gostava das nossas brincadeiras, contudo com o passar do tempo e da convivência, quando vinha ao meu gabinete, já gostava muito de meter a mãozinha no ombro enquanto me lia um mail, eu sei ler um mail, sério!!! Comecei a não achar piada, embora fosse meu chefe e eu lhe desse apoio no trabalho, e ele também se juntasse à brincadeira, nada lhe dava o direito de pôr a mãozinha, entretanto foi embora, mas nunca houve stress. Mas não me entendam mal, nunca considerei isto como assédio, nunca, isto do assédio no trabalho tem muito que se lhe diga.

Com os clientes, não sei, talvez pelo facto de eu ser muito conversadora, de lhes dar atenção, de os ajudar em qualquer questão relacionada com o trabalho, não sei,mas ainda hoje mantenho uma relação de amizade com alguns clientes e fornecedores.

Com um desses homens já temos uma relação platónica há mais de 15 anos, engraçado, mas nunca passou disso, mas ainda se mantém nos dias de hoje, sempre lhe disse que ele era muito " betinho " e para "betinho" já tinha o meu namorado, sim eu namorava mas mesmo assim não era impedimento. 

O que me levou a não manter uma relação extra conjugal:

- Namorava

Depois de acabar o namoro:

- Era tudo mais simples mas:

- Adoptei uma menina

-Fui mãe

-Sou filha

-Nãi quero que os meus pais se envergonhem de mim, nunca

-Não queria de todo que a minha filha um dia viesse a saber, que exemplo seria para ela?

-Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti

-Nunca iria ficar de bem com a minha consciência, após o acto consumado

-A nossa relação no trabalho jamais iria ser a mesma

-Iria deitar tudo a perder

Agora que já não trabalho na empresa:

- Tenho uma filha

- A minha consciência continua a falar mais alto

-Tenho medo do que poderá acontecer depois, em relação a isto tenho medo

-Pode ser só "one night stand", mas pode não ser

Uma vez um colega de trabalho disse que eu deveria ser " Acompanhante de Luxo", cheguei a pensar seriamente na questão mas mais uma vez:

-A minha filha

-Não há dinheiro que pague o arrependimento

-Mas não digo desta água não beberei, antes " Acompanhante de Luxo" do que "Amante".

Agora já me podem julgar

 

 

 

 

 

E PORQUE SEM UMA RECEITA NÃO TINHA PIADA!!! DESTA VEZ SAUDÁVEL COMO MANDA A LEI!!!

Mais uma receita do blog COCOEBAUNILHA, poquê? 

Porque eu adoro.

AVEIA NO FORNO COM BANANA, MIRTILOS E NOZ PECÃ
Adaptada daqui

230g flocos de aveia (inteiros)
70g de noz pecã , grosseiramente triturada
1 c. (chá) de fermento em pó
1 c. (chá) de canela
1/4 c. (chá) de sal
300g de banana, esmagadas (cerca de 3 médias)
1 c. (chá) de sumo de limão
400ml de leite de aveia (ou outro)
60ml de xarope de acer/maple syrup (ou àgave ou açúcar mascavado)
2 ovos
1 c. (chá) de pasta ou extrato de baunilha
40g de óleo de coco derretido (ou manteiga)
75g mirtilos

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Untar uma forma de 20x20cm com manteiga.
Numa taça misturar a aveia com as nozes, o fermento em pó, a canela e o sal.
No processador de alimentos, processar as bananas com o sumo de limão. Depois juntar o leite, o xarope de acer, os ovos, a baunilha e processar até ficar homogéneo. Por fim juntar o óleo de coco (ou manteiga) derretido.
Juntar os ingredientes líquidos com os secos e misturar bem. 
Colocar a mistura na forma e espalhar os mirtilos.
Decorar com uma banana aberta ao meio polvilhando com um pouco de açúcar por cima da banana.
Levar ao forno cerca de 30 minutos ou até ficar dourado e firme.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D