Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mãedocoraçãosoueu

mãedocoraçãosoueu

PEDIDO DE TRANSFERÊNCIA E AS ESCOLAS PÚBLICAS

Após a história do bullying, e não querendo que a Diana permanecesse na mesma escola, iniciei o processo de transferência, enviei mail para a Escola Secundária Augusto Gomes e fomos a uma entrevista, correu bem e no final a vice-diretora da escola frisou que as crianças do Ensino Especial eram prioritárias, fiquei feliz e lá viemos embora e terminar o ano na Escola Secundária da Senhora da Hora, e ainda ter que encarar a buller,mas já só faltava 1 mês, fiquei tão feliz, tão feliz quando ouvi que a miúda era prioritária.

No acto da matricula lá fiz o pedido de transferência, não queria, não queria de todo que que a minha filha ficasse na mesma escola, ver a miúda todos os dias e lembrar-se do que lhe tinha acontecido, ou ter medo.

Antes de iniciar o próximo ano lectivo e sabendo que já estavam a formar as turmas comecei a inteirar-me se tinha conseguido transferir a criança, fui à Escola Augusto Gomes saber se tinhamos conseguido, qual é o meu espanto quando vou à secretaria e me dizem que não, não aceitaram a transferência, fiquei em choque, pior senti uma revolta tão grande que me apetecia bater em alguém, e esse alguém era a vice-diretora , a Dona Georgina, não lhe vou cahmar Doutora ou Professora pois para mim essa senhora não merece tal título.

Perante tal notícia fiquei à espera para poder falar com a Senhora, após esperar durante 1 hora fui informada que ela não iria à escola, bem é preciso frisar que para falar com esta senhora é pior que conseguir falar com o Primeiro Ministro ou com o Presidente da República, aquela sem dúvida não era a mesma escola que frequentei, só falta ter sentinelas à porta tal como no palácio de Belém.

No dia seguinte logo de manhã voltei para falar com a senhora, sentei-me num sofá, muito chique não!! após me terem dito que não sabiam se ela iria à escola ou tampouco a que horas, é normal uma vice-diretora não informar o local onde trabalha a que horas chega, ou até mesmo se vai aparecer? função pública, está tudo dito, função pública, para todos os efeitos estavamos em Julho, mas as férias dos professoras iniciam em Agosto, e falo por experiência própria. Passaram-se 2 horas, as auxiliares já não sabiam que mais me dizer, mas eu não arredava pé, eu tinha que falar com a senhora, já tinha perdido uma manhã de trabalho, portanto perdido por cem, perdido por mil.

A senhora entrou toda esbaforida, parecia que tinha muito que fazer,ou que já tinha trabalhado muito a auxiliar foi ter com ela e foi-lhe dito que naquele dia não me podia atender. Nesse dia quando cheguei à empresa comecei a chorar, a sério raramente choro, mas nesse dia a raiva tomou conta de mim, eu chorava de raiva, de revolta.

Não baixei os braços, e liguei para a DGEST, duas pessoas, devo dizer, muito atenciosas disseram exatamnete a mesma coisa, a escola é quem decide, como? Estamos a falar de uma escola pública, a DCGEST não intervem? as escolas são autónomas? Expilquei que a Diana era prioritária mas fiquei a entender pelo que me foi dito, aquilo que eu já sabia, a Diana ia ser um estorvo para aquela escola, pois existe uma rivalidade entre a Zarco e Augusto Gomes, e foi-me confirmado pela DGEST, as crianças tinham que ser boas alunas, não podiam ter dificuldades senão iriam estragar a pintura

Mantive contacto com a Escola Secundária da Senhora da Hora e a Dona Eva, chefe da secretaria, que foi muito, mas muito atenciosa comigo, disse-me que o processo de transferência da Diana foi recusado no mesmo dia em que chegou à Augusto Gomes, ui! aí então é que virei Hulk, como tinha o mail da vice-diretora da Augusto Gomes, do diretor e da diretora da Secundária da Senhora da Hora, mandei uns mails para a senhora com o conhecimento dos dois últimos, e confesso não foram mails muito agradáveis, não  tratei mal a senhora, atenção, pois ainda sou uma pessoa bem educada.

Agora a questão que coloco e que coloquei à DGEST, estas escolas são públicas, ou são colégios particulares? Desde quando é que uma criança não tem direito a mudar de escola, desde quando é que estamo limitados no ensino? 

A minha filha ficou na Senhora da Hora, e hoje posso dizer ainda bem, no ano que repetiu (7º) teve uma turma excelente e uma diretora fora de série, há males que vêm por bem, a outra miúda passou e foi para o 8º com horário da tarde, e a minha com horário da manhã, por isso também estava tranquila.

E fico muito feliz por saber através de uma amiga que tem a filha na Augusto Gomes

1º - Houve alunos que passaram com 5 negativas, boa minha senhora, na escola da minha fliha reprovam com 3

2º - É solicitada uma exigência aos alunos que os impede de ter tempo para brincar, estamos a falar de miúdos com 12/13 anos

3º-A filha dessa minha amiga vive numa ansiedade constante, pois como tem medo de reprovar, além de estudar com Centro de estudos, ainda o faz ao Sábado e ao Domingo, quando é que lea tem tempo para ver televisão, sair com os pais, com os amigos, aliás durante as aulas, não há um dia em que ela possa vir cá a casa.

4º A minha amiga ficou arrependida com a transferência, mas agora não há nada a fazer

 

VAMOS FALAR DE UM TEMA QUE AINDA HOJE ME DÁ UM APERTO NO CORAÇÃO,BULLYING

Este é um tema que ainda me dá um aperto no coração, doeu tanto, acho que me doeu mais a minha do que à Catraia

Estava a miúda no sétimo ano e pensando eu ,que estava tudo a correr bem, pensava eu, quando de repente a meio do segundo período recebo uma chamada de um telemóvel que não conhecia, mas como já disse atendo todas as chamadas,mesmo não conhecendo o número e ainda bem que o fiz, era a minha filha:

-Mãe estás calma?

-Sim estou filha porquê?

Desata a chorar e diz-me que teve uma falta disciplinar, foi ao GAP e lhe apreenderam-lhe telemóvel.

- O que aconteceu Diana?

-Chamei vaca a uma colega

-Porquê?

-Porque ela mandou-me pastar

-Mas não são só as vacas que pastam há outros animais que o fazem, porque levas tudo tanto a peito? Vou já para aí

Não foi tarde  nem foi cedo  saio da empresa a correr para a escola que por sorte fica a 5 minutos a pé, mas acho que lé cheguei em 3 minutos ou menos, não interessa, ela vem ter comigo a chorar acompanhada de uma colega de turma e não consegue explicar o que se passou, a colega explicou, uma miúda da turma dela chamou, vamos dar os nomes às coisas, "vaca, a uma colega e pediu à minha que se desse como culpada pois, ela, a miúda já tinha algumas faltas disciplinares e não queria outra, e a minha assim fez disse à professora que tinha sido ela, ora nem é tarde nem é cedo, GAP, falta disciplinar e telemóvel apreendido, entretanto a miúda insultada diz-me:

-Não Dona Paula, não foi a Diana que me chamou vaca, foi a G e pediu à Diana para se culpar quando a professora perguntou quem tinha chamado aquilo à colega.

Peço para chamar o diretor de turma, recebeu-me a mim e às miúdas e ouviu a história, exigi o telemóvel, pois a falta que se lixe nem me estava a preocupar, mas não sendo a miúda culpada queria o telmóvel, e lá mo deram, que remédio. OK passou.

Dias mais tarde recebo outra chamada desta vez da minha filha, num pranto a dizer que a G tinha ido ao balneário e tinha destruido tudo o que estava no saco dela, chegou ao ponto de lhe partir um cinto, a fivela, as fivelas são de metal!!! tal foi a raiva da miúda, ainda não estava a entender o que se passava, falo com uma colega ao telemóvel e a miúda também muito assustada contou-me o sucedido, pois a minha só me dizia que precisava de uma cinto, um cinto era só o que dizia, ao telefone com a colega digo:

- Mas B o que aconteceu?

-Dona Paula a G fez isto e isto

-Ok, mas repara a Diana só a tem a ela como amiga, vocês não lhe ligam.

-Não Dona Paula, a G é que não nos deixa chegar perto da Diana

WHAT? Passei-me simplesmente passei-me, lá fui outra vez em modo corrida para a escola falar com o direor de turma que por sua vez chamou o pai da miúda.

Após este episódio começam as reuniões com a G e o pai, várias reuniões pois era episódio atrás de epsódio.

DOENTIO é só o que posso dizer, a G mentia com todos os dentes que tinha o pai defendia-a, claro era pai, vim a descobrir que ela enviava mensagens à minha filha, mensagens essas que o diretor de turma passou para uma pen, caso eu quisessse ir à policia, bem um filme, mas uma filme de terror, poso dizer que me apetecia espancar a G, era esse o meu sentimento, serem«namente ´so pedi para a G se afastar da Diana, mais nada, distância, eu queria distância.

Mais um episódio, a mãe da miúda liga-me, desligo-lhe o telemóvel e ela manda.me uma mensagem que sinceramente não tinha pés nem cabeça, depois liga à minha filha, que está no apoio de matemática e a professora ao ver que era a mãe da G pede para ela desligar o aparelho, a Diana estava autorizada a deixá-lo ligado, caso necessitasse de algo ou se eu precisasse de falar com ela.

Mais uma reunião com a G a minha filha e o pai,mais aquela vontade de espancar, pois segundo entendi ela disse à mãe que a minha filha tinha dito que ela ía ser retirada aos pais, mas na reunião não foi bem assim, não foi a Diana, foi não sei quem, baralhou-se toda, bem mais uma vez disse:

-G quero-te longe da Diana, longe! e o professor vai separá-las nas aulas, e o Sr. Pai vai controlar isto senão vou mesmo à policia, estou farta, farta de perder horas de trabalho, farta de ver aminha filha em pânico, FARTA FARTA.

O problema aqui resume-se ao seguinte, a mãe da G tem uma depressão crónica desde os 12 anos de idade, a G entrou para o secundário com uma depressão, que quanto a mim não estava a ser bem tratada e a vítima era  aminha filha, como a mãe da G está em casa todo o dia, acreditava em tudo o que a filha lhe contava, não filtrava, e ligava para a minha filha, a sério! a miúda na altura tinha 13 anos, 13 anos! que mãe liga para uma miúda a pedir explicações?

Bom haveria muito mais para contar, mas só tenho a dizer isto nós pais , aliás eu mãe, pois como já disse a Diana não tem pai, logo isto é tudo para mim, mas não faz mal, ainda posso bem, não nos apercebemos que os nossos filhos são vítimas de bullying, sendo ele psicológico, se fôr físico, sim  percebe-se, mas este é muito díficil de detetar, sobretudo se as crianças não falam, caso da minha, e se vão bem dispostas para a escola, caso da minha.

A escola tem culpa? Não, os professores sim pois muitos já se tinham apercebido e não disseraam nada.

O que é uma facto é que a minha filha ía apavorada para a escola e eu nem me apercebi, a minha filha sofria e eu nem me apercebi, telefonava-me muitas vezes para falar de tudo e de nada, mandava montes de mensagens sobre tudo e sobre nada e eu não me apercebi.

Por este motivo obriguei os professores a reprovar a Diana, obriguei mesmo, mas falarei disso no próximo post.

UMA COISA É CERTA A MINHA FILHA É UMA MIÚDA MUITO FORTE

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D