Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mãedocoraçãosoueu

mãedocoraçãosoueu

O CORAÇÃO TEM O SEU TEMPO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Separações, perdas, decepções.

Existem dores que não podem ser evitadas.

Estas dores precisam de encontrar o seu espaço e o seu tempo para cicatrizarem dentro de nós.

E cada coração tem o seu tempo.

Cada coração sabe, mesmo que não seja no exacto momento em que aconteça, o quanto consegue aguentar certas dores.

É por isso que é importante e saudável ao nosso coração, que a gente não insista ou force para que ele cure o mais rápido possível. Querer apressá-lo a melhorar é jogar contra ele.

É impedi-lo de aprender com essas emoções e, com o tempo, de ganhar o amadurecimento necessário para não mais sangrar como antes.

Por mais horrível que seja, sentir algumas dores, é dar-lhes o direito de terem tempo para curarem.

 

Quando não negamos a convivência com essas inseguranças, com essas quedas pelas quais passamos, desenvolvemos um sentimento chave para a nossa cura: a resiliência.

Sem marcas emocionais, sem desamores e sem conflitos internos, pouco temos a crescer.

E assumir essas coisas não quer dizer que nós tenhamos a obrigação de passar por tantos tropeços.

Ou o mesmo significa que nós não devemos esconder os nossos sentimentos do mundo.

Mas quando encaramos uma dor muito forte, uma da dor que faz o coração perder o equilíbrio, muitas lições são valorizadas.

O medo da solidão passa a incomodar menos, por exemplo.

Na verdade ela passa a ter outro sentido.

Cada um lida com ela como um ponto de partida para somar novas experiências.

Para ver a vida com mais calma, com mais gentileza, com olhos mais de calmaria do que de tempestade.

O nosso interior também ganha novos formatos, expandindo relacionamentos mais profundos e sinceros com quem amamos.

Além disso, também criamos uma janela através da qual deixamos ir o que/quem não nos preenche mais.

Cada coração tem um tempo.

Nunca é em vão respeitá-lo.

O coração às vezes é uma roda gigante que pouco a pouco encontra o seu motivo e a sua melhor vista para seguir sentindo.

COM ESSA IDADE E AINDA VIVES COM OS PAIS!!!!!!!

 

Acordo e não tenho a quem dar os  bons dias.

Então arrasto-me até à casa de banho e penso: será que dormi o suficiente?

Se dormi o suficiente, quantas horas? E porque estou a evitar iniciar mais um dia.

Mas dormi as 8 horas recomendadas pelos especialistas…

Já é tarde tarde e então já perdi a vontade de iniciar a corrida saudável na praia ou aqui mesmo pela vizinhança…

Estou a reflectir.

Farei algo com qualidade ainda hoje em que me levantei às 10 da manhã?

Não, já é tarde, mas pensando bem ainda é cedo, que dilema.

Pergunto a mim mesma porque foste dormir às duas da manhã quando podias ter dormido às onze de noite?

Talvez procurasse algum sentido existencial nas séries vistas antes de dormir ou conversar com pessoas virtualmente, que raramente consigo ver pessoalmente.

Logo depois das dez, tomo um banho e espero que tudo se renove e que eu consiga viver uma vida normal e que tudo saia como planeei.

Ler um livro Haja concentração.

11:00 – Quantas páginas já li?Três? Mas o que se passou numa hora para ler apenas três páginas de um maldito livro?

Ah sim, meia hora foi para preparar o pequeno almoço. Meia hora para fazer isso?

Nem fiz o sumo de laranja que eu tanto queria… as laranjas estão a ficar moles.

Amanhã vou ao supermercado com a expectativa de fazer sumo natural de fruta…

Ok, Já que são onze horas, é melhor começar a pensar no que tenho para o almoço…

Ou será que ignoro tudo isso para continuar a ler o lvro?

Eu até estava a gostar do livro.

Só hoje.

E lá se passa uma semana em que almoço qualquer coisa, uma sandes, uma tosta sei lá o que fôr mais fácil de fazer.

Nos dias em que o humor está melhor, penso no que me falta e então vou ao supermercado.
 
Paro de pensar em todos os meus problemas.
 
Estou rodeada de comida! Comida, minha melhor amiga, meu amor que não me trai.
 
Ia  comprar pão, iogurte, leite, ovos e cenouras. Gastei uma fortuna.
 

Chego a casa, como é que fui lembrar de comprar um ambientador para a casa de banho e me esqueci de comprar alho?

Volto ao supermercado, comida sem alho não dá.

Era só para comprar alho, mas lembrei-me do papel higiénico, o pão integral  que tão bem faz, quem sabe não começo uma vida mais saudável?

Coca cola? Sim uma garrafinha pequenina… 

Mas comprei Coca cola de 1 litro só pra mim…

Então,e porque não uma pizza congelada? ou uma lasanha congelada para uma emergência? Combina com coca cola… 

E com tudo isto mais uma pipa de massa.

Volto para casa, vejo as pessoas a passear os cães, queria um.

Não posso.

Vivo sozinha, e o dinheiro é contado ao cêntimo.

 

Chego a casa às 12:30.

Faço o almoço a esta hora?

A minha mãe a esta hora tinha o almoço feito.

Começo, penso no arroz de tomate da minha mãe, no cheiro da cebola a dourar com o alho e o louro

Faço arroz de tomate, pronto está decidido.

Resultado: o arroz ficou bom, mas o arroz não ficou "malandro" porquê?

Legumes… a minha mãe trazia do quintal todos os dias, cultivados por ela.

Mas ainda me falta alguma coisa, carne, peixe, não, afinal vou cozer uns ovos juntamente com o arroz, assim não frito e é menos uma panela para lavar.

Cozinhar ovos juntamente com o arroz vamos ver no que vai dar.

Não deu em nada.

15:00 – Almoço. Preguiça. Tudo eu, tudo eu… Vamos lá arrumar as coisas.

Bem não preciso fazer hoje

Deixo o meu prato o meu copo, os talheres e a panela, amanhã lavo.

16:00 – ligo a televisão para relaxar.

Relaxar para quê sua imprestável?

E a casa para arrumar?

E a roupa para lavar e estender?

E a que está por passar?

Bem, pensando melhor vou fazer uma sesta.

Às 17:00 acordo.

Como assim? Já são 17:00? 

Vou fazer um café porque depois desse café fico cheia de "pica" e começo agora o que nunca comecei!

Mas me deu-me fome.

Uns biscoitinhos vinham a calhar.

Café pronto, biscoitinhos na mesa, ele há coisa melhor

Cansada, vejo um pouco do instagram, afinal ainda não tive nenhum contacto social  hoje.

18:30.

COMO?

E eu ainda não fiz nada!

Precisava limpar o chão, está sujo.

E o pó?

Tento me concentrar mais um pouco.

Leio mais três ou quatro páginas do livro, no máximo dez se estiver estou empolgada. 

20:00 – Não tenho ninguém.

Meus pais não estão na sala a ver televisão.

Vazio.

Silêncio.

Solidão.

Depressão.

Afinal descubro, estou sozinha.

Os meus amigos a divertir-se, não tenho namorado e não fiz nada.

Devia ser como eles.

Ver filmes.

Ouvir música.

Namorar.

Ser mais livre.

 

Mas eu sou liver afinal vivo sozinha.

A voz da consciência diz: não vais ser ninguém na vida.

Volto à sensação das 20:00.

Mas como? se não parei de trabalhar o dia todo excepto a sesta de uma hora e meia à tarde?

Era suposto serem 20 minutos, mas não coloquei o telemóvel a despertar ok?

Bem, hoje vou dormir cedo.

Vou fazer uma lista de coisas para cumprir amanhã.

Amanhã será vida nova.

Vou comer.

Vou grelhar um bife e fazer uma salada.

Grelhar bife? Mas eu nem comprei bife.

Fazer salada?

Mas nem comprei legumes.

Vou a correr ao supermercado, preciso comer.

Estou tão cansada desta correria que por mim comia uma sandes com manteiga se a tiver, com fiambre, acho que não tenho ou queijo, duvido que exista.

Mas pronto, já comi.

Agora fiquei com preguiça de escovar os dentes.

Mas lá escovei.

Vi séries e dormi.

Adormeci deixei a televisão ligada.

Acham que eu durmo feliz com o silêncio e o escuro?

Acordo dou os bons dias a mim mesma!

Bolas são10:00!

A que horas me deitei ontem?

Às 02:30?

Mas passou tudo tão rápido depois de 23:00… Eu só vi um filme, 5 capítulos de uma série, só isso.

E a minha vida que recomeça.

Hoje será diferente prometo.

 

O UMBIGO!!! POR UM ACASO LEMBRAM-SE DELE!!!!

Todos nós conhecemos pelo menos uma ou outra pessoa que adora falar do seu umbigo.

Uma pessoa que pensa que tudo gravita em volta da sua extraordinária pessoa e que mais nada é interessante além do seu mundo maravlhoso, o seu pequeno mundo, são pessoas que não se dão conta de que se há coisa que todos temos, gostamos e damos valor  é o nosso amado umbigo.

Todos gostamos de ter a nossa plateia de vez em quando, é sempre bom saber que há pessoas que se interessam por nós e estão atentos aquilo que fazemos ou dizemos, com um pouco de conta, peso e medida isso ajuda-nos a ser mais confiantes e felizes.

Há pessoas que por muito bem intencionadas que sejam,passam a vida a gabar-se de tudo o que têm e fica toda entretida a enumerar as suas virtudes a pessoas que vivem situações dolorosas, não se apercebe que a sua aparente felicidade magoa os outros e isso só serve para lhe complicar a vida.

Em vez do retorno que imagina que as suas declarações produzem, recebe de volta sorrisos forçados e um afastamento progressivo de todos os que se sentem ofendidos pela sua falta de atenção, contudo pode ser uma excelente pessoa, e não faz por mal, é apenas egocêntrica.

No fundo é apenas uma pessoa que vive demasiado concentrada no seu mundo, nos seus interesses,nos seu problemas, é no fundo uma pessoa que deseja com todas as suas forças acreditar que é mais feliz do que realmente se sente.

Não é um drama ser assim, é apenas o excesso de tempo que gastamos com nós próprios, a adorar a maneira como pensamos, sentimos e vivemos, é tempo que não sobra para os outros.

Podemos contudo perguntar:

Mas que importância têm os outros quando estamos tão felizes sem eles?

Não é bem assim ninguém consegue ser verdadeiramente feliz sem dar atenção aos outros.

São o aquilo que chamamos pessoas Narcisistas, são pessoas que sem darem conta,cavam fossos de solidão à sua volta.

Quando eu era ctólica praticante e ia à missa por prazer, sim por prazer, pois sentia-me bem depois de lá sair, pena que ao separar-me deixei de ir aquela igreja, uma vez um padre muito erudito resolveu dissertar sobre os verdadeiros pecados modernos. Estava inspirado e disse que os maiores pecados do nosso tempo não são os pecados da carne, esses são pecados pois estão catalogados como tal pela igreja, mas os piores pecados,segundo esses padre são, a arrogância,a presunção de superioridade, a falta de solidariedade, a auto-suficiência e a vaidade.

Com esta palavras cheguei a uma conclusão tudo se resume a uma questão de umbigo, uma "coisa" que temos no nosso corpo e do qual alguns nem dão conta, eu sou uma delas, só me lembro que tenho umbigo, quando vou para a praia e lá está ele a olhar para mim de cada vez que me sento ou me levanto, pois ele só serviu para nos ligar ás nossas mães quando estas nos estavam a gerar.Mas há muitas pessoas que andam sempre com a cabeça baixa a olhar para o lindo e maravilhoso buraquinho.

 

DÁ QUE PENSAR!!!!!!!!!!!! DEIXEMOS POR UM MOMENTO A HISTÓRIA DA DIANA

 

“Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro ame a si mesmo.
Primeiro seja tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.
Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem –
Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.
Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e belo
Em seguida, você pode passar para um relacionamento.
Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.
E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraídos para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.
Quando dois mestres se encontram – mestres do seu ser, de sua solidão -felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.
Torna-se uma tremendo fenômeno de celebração.
E eles não exploram um ao outro,, eles compartilham.
Eles não utilizam o outro.
Em vez disso, pelo contrário,
ambos tornam-se UM e
desfrutam da existência que os
rodeia.”
– Osho

 

DÁ QUE PENSAR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mais sobre mim

foto do autor

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D